Medalha de Lata

Medalha de lata

Essa semana eu me aventurei a fazer uma semana olímpica com a família. Fui com meu marido duas vezes ao parque olímpico e em uma terceira vez, com minha filha de 4 anos.

Em todas as três vezes, usei o transporte público sugerido pela prefeitura: metrô e BRT (sistema de corredor de ônibus implementado no Rio de Janeiro).

Em todas as três vezes, haviam mães com crianças de colo. E em todas as três vezes, ninguém  deu lugar a elas. Em um das vezes, tive que atravessar o ônibus para oferecer nosso lugar.

Quando fomos com minha filha, conseguimos ir sentados na ida. Porém, como era e se esperar, na volta ela capotou e sobrou para o pai carregar o pacotinho de 18kg..rsrsrs. Quando chegamos na estação, fila e ônibus cheio.

Entramos, ele com ela no colo e a cena se repete. Ninguém, cede o lugar. Eu, louca da vida, fui logo pedindo para um rapaz por favor se levantar da cadeira amarela, destinada a prioridades.

O rapaz ficou constrangido? Não? Ficou p.. da vida e ainda disse que prioridade era pra idoso. Sim.. ele disse isso.

Existe cidadania?

Confesso que a falta cidadania e desrespeito com quem está em estado preferencial, nos transportes públicos  não me surpreende mais, mas sempre me choca.

Especialmente em um transporte exclusivo para os jogos olímpicos. Afinal, não estamos falando de trabalhadores exaustos de um dia de trabalho.

Então para nunca nos esquecermos e sempre exigirmos que se cumpra, a lei que regulamenta a prioridade de atendimento às pessoas com crianças de colo é a Lei Federal nº 10.048/2000, que em seu art. 1º especifica:

“Art. 1º As pessoas portadoras de deficiência, os idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, as gestantes, as lactantes e as pessoas acompanhadas por crianças de colo terão atendimento prioritário, nos termos desta Lei.”

Ela não traz qualquer definição sobre o que seja criança de colo. Cabe, portanto, o uso de bom senso para poder identificar o caso da criança que precisa do seu responsável para poder locomover-se (por ser muito pequena, por estar doente ou dormindo, etc.).

Medalha de Lata pra nós em cidadania 🙁

 

Barbara Ferreira
Mãe da Rafaela, consultora de comunicação, fã e parceira da Chiquita Bakana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *